27 de julho de 2011

Tudo feito, nada dito

Acontece que no plano do pensamento
Das frases não ditas
Das idéias represadas
Dos verbos imaculados
Não se ouve nada
Nem um suspiro

É o retrato do silêncio
De tudo que emana da sua cabeça
Para o mundo distraído
E se espalha pelo ar
Atravessa a minha pele
Entra por todas as frestas
Ecoa no meu corpo
- Não ouço, mas sinto

Nenhum comentário: